BOLSONARO É CONTRA MEDIDAS DE CONTROLE DA COVID-19 NOS CRUZEIROS INFECTADOS

O presidente Jair Bolsonaro lamentou a decisão do governo de interromper a atividade dos cruzeiros em uma coletiva de imprensa antes de deixar o hospital Vila Nova Star, nesta quarta-feira (5/1). “O Brasil é uma potência no agronegócio, é uma potência mineral, é uma potência no turismo — lamento a decisão que tivemos agora, não pelo meu governo, pela Anvisa, no tocante aos cruzeiros. O Brasil é uma potência”, disse o presidente.

O Governo Federal, com apoio do Ministério da Saúde suspendeu a temporada de cruzeiros até 21 de janeiro. A decisão veio após uma recomendação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), sinalizado a necessidade de novos protocolos e medidas sanitárias para evitar a contaminação.

Os cinco navios em operação na costa brasileira registraram um total de 798 casos confirmados nos últimos 9 dias. O número representa um aumento de 2500% em relação aos 55 dias anteriores da temporada.

Nesta terça-feira (04/01), o PROCON notificou as companhias MSC Cruzeiros e Costa Cruzeiros a prestar esclarecimento sobre o reembolso dos passageiros e a remarcação das viagens canceladas ou interrompidas. Um dos transatlânticos, MSC Preziosa, esteve em Búzios, na Região dos Lagos, antes de retornar ao Rio de Janeiro. O navio tem capacidade para cerca de 3.000 pessoas e teve 88 infectados.