Meio Ambiente São Pedro da Aldeia

  • Perfil Ambiental

Seguindo a vocação da região abundante em vento e sol, São Pedro da Aldeia teve como principal atividade econômica a extração de sal marinho desde a época do Brasil Colônia que enriqueceu a elite aldeense com o “ouro branco”, o qual era o mais puro e menos custoso de todo o Império Português gerando grandes lucros. Contudo a atividade decaiu com a competição com o sal do Rio Grande do Norte e com a ajuda da especulação imobiliária gerada pelo turismo.

 

  • Bio Diversidade

A biodiversidade de São Pedro da Aldeia se faz pelas variações de Mata Atlântica, como as florestas e restingas. Parte dessa biodiversidade é também influenciada pela presença da Lagoa de Araruama, e pelos brejos e áreas úmidas, além da presença da serra de Sapiatiba, fazendo com que o município tenha uma biodiversidade muito singular. Na fauna se destacam algumas espécies ameaçadas de extinção, como o bugio e a preguiça de coleira, além de lagartos, serpentes, sapos, rãs, dversas aves e mamíferos, como o gambá, a paca, a cutia e a preá. Na flora também há uma grande diversidade de espécies, como orquídeas, cactus, bromélias e árvores, como a aroeira, paineira, pau brasil e sapucainha.

 

  • Hidrografia

São Pedro está localizado nas margens da maior laguna hipersalina do mundo, a Laguna de Araruama. Com seus 220 km² de superfície, abrange, além do município de São Pedro da Aldeia, os municípios de Saquarema, Araruama, Arraial do Cabo, Iguaba Grande e Cabo Frio. Além da laguna, que forma também as praias da cidade, a hidrografia do município também é formada por rios, brejos e alagados, estes últimos, favorecidos pela grande área plana do município. O município é cortado por um dos principais rios da região, o Rio Una, que nasce em Araruama, corta São Pedro e segue para Cabo Frio, em direção ao oceano. Outros rios de menor expressão deságuam na Laguna de Araruama.

Principais Rios
Rio Una, Rio paupicu, Rio Ramalho, Rio São Mateus, Rio Cabista, Rio Ubá, Rio da Pedra, Rio Iguaçaba e Rio Flecheiras.

Principais Lagoas e Lagunas
Laguna de Araruama.

Principais Praias
Praia do Sudoeste, Praia Pinta da Areia, Praia de São Pedro, Praia do Mossoró e Praia do Boqueirão.

 

  • Geologia

O município localiza-se na latitude 22º50’21” sul e na longitude 42º06’10” oeste na Região dos lagos do Estado do Rio de Janeiro. O município já teve outros dois nomes, Jacuruna -, provável primeiro nome da região onde hoje se encontra São Pedro, e cujo nome vem do Jacu, ave comum na região, e una preto, cor da sua penugem Vila de Sapiatiba. Sapiatiba significa “lugar com abundância de sabiás e sapê”. Com o tempo e atualização histórico cultural do lugar e desaparição do sabiá de uma parte da área o termo Sapiatiba passou a denominar Sapeatiba, dando origem a um bairro, o que ficou em forma de homenagem a antiga Vila de Sapiatiba, onde hoje é composta pelos bairros de Balneário, Praia Linda e Sapeatiba Mirim.

Bioma

o Bioma do município é de Mata Atlântica. São Pedro da Aldeia faz parte do Parque Estadual da Costa do Sol, uma área de preservação de 5.500 hectares abrangendo Saquarema a Armação dos Búzios.

Relevo

São Pedro da Aldeia tem um litoral circundando a Laguna de Araruama, formando pontas e enseadas. O solo aldeense é rico em material conchífero, e é de formação calcária. Parte do município encontra-se localizada na Serra de Sapeatiba.

Serra de Sapeatiba

A Serra ocupa 60 km² e atinge mais de 350 metros de altitude em São Pedro da Aldeia. Constitui uma da poucas áreas de preservação da região, sendo parte integrante da Parque Estadual da Costa do Sol (Pecs).

Vegetação

A vegetação é característica das Baixadas Litorâneas, com incidência de árvores como Amarelo, Paineiras, Cambuinha, Maricá, Pau-Ferro, Sapucaia, Aroeira, Cajá-Mirim, Pau d’Alho, Sibipiruna, Jacarandá, Jequitibá, além de sapê, orquídeas, bromélias e plantas de uso medicinal, em suma, Mata Atlântica.

 

  • Saneamento

A água distribuída em São Pedro vem do reservatório de Juturnaíba, localizado no município de Silva Jardim, e formado por uma barragem no rio São João. A água captada é tratada na Estação de Tratamento de Água de Juturnaíba (ETA Juturnaíba), operada pela PROLAGOS, que capta 1.200 litros de água por segundo. Depois de tratada, a água chega as casas através de uma complexa rede de distribuição de 1.357km, formada por adutoras, casas de bombas, estações de manobras e reservatórios.
O esgoto é captado pelo sistema de coleta a tempo seco, que consiste na interceptação do esgoto presente nas galerias da rede pluvial, evitando que o mesmo seja despejado “in natura” no meio ambiente. Cabe à Prolagos a instalação de coletor-tronco (interceptores, recalques), caixas coletoras e construção de Estações Elevatórias, que transportam o esgoto às Estações de Tratamento (ETE) da concessionária. As Estações de Tratamento de Esgoto funcionam 24horas ininterruptamente, mas quando chove muito e por um período prolongado, as comportas são abertas para evitar inundações. Quando isso acontece, segundo a Prolagos, o esgoto já está suficientemente diluído pela água de chuva.